Tesoura e pente na mão, tá na hora de cortar o cabelo do Dom

Olá!  Tesoura e pente na mão, hoje foi dia de cortar o cabelo do Dom!!! Ahhh, essa tarefa não é um bicho de sete cabeças, não! Basta sentar a criança numa cadeira, fazê-la ficar imóvel por uma meia hora e… mãos de tesoura em ação! Só que não…

Realidade….

Hoje foi dia de procurar alguém para cortar o cabelo do Matheus. Na verdade essa necessidade surgiu há dias, mas eu estava em busca de um profissional sensível. Como assim sensível? Não deveria ser um profissional qualificado?

Pois é, só quem tem filhos especiais entende de forma diferenciada as coisas corriqueiras. Captamos no ar os pensamentos maldosos, os olhares preconceituosos, a falta de entendimento, de conhecimento, de sensibilidade… Logo, aparar o cabelo do Dom requeria mais do que habilidade profissional! Exigia humanidade!

Então, acordamos cedo  (novidade nenhuma, o Matheus madruga diariamente) e saímos pelo bairro em busca de um salão de cabeleireiro. Paramos em dois, cujas atendentes eram mulheres. Elas não cortavam cabelos de bebês. No terceiro, a negativa veio acompanhada de uma indicação. Havia ali perto um barbeiro.

Lá fomos nós…

O moço nos disse que cortava cabelo de bebê e que poderíamos aguardar ele finalizar um corte. Em poucos minutos, pediu que sentássemos na cadeira e conversou com o Matheus. Eu aproveitei para INFORMAR que ele tem hidrocefalia e dizer que usa o shunt, ou seja, que há um calombinho, mas que pode ser tocado, pois é indolor.

Ele iniciou o corte e demonstrou muita paciência. Acompanhava os movimentos do Matheus ou aguardava ele retomar uma posição mais firme para dar continuidade. Nesse meio tempo, me perguntou se o Matheus se alimentava normalmente… Respondi que sim. Então, ele me contou que a filha nasceu com microcefalia e mais uma síndrome, e que só se alimenta com papinhas. Perguntei a idade, pois esperava ser uma criança. Ele me disse que ela tem 23 anos e que foi uma vida de lutas… 

Nesse momento, eu disse à ele o quanto havia esperado para cortar o cabelo do Matheus, pois precisava de alguém que fosse mais do que um profissional habilidoso e qualificado. Disse que acreditava em Deus e que esse nosso encontro, certamente, era obra Dele. 

O corte foi finalizado e eu sai agradecida. Deus prepara tudo!

Infelizmente, muitas pessoas não imaginam o quanto podemos aprender com os “diferentes”. Muitas vezes estamos tão presos à perfeição das formas físicas e ao ritmo cadenciado do desenvolvimento típico que esquecemos de observar a riqueza oculta na essência humana.

A cada dia eu aprendo e me inspiro na alegria, determinação, capacidade de adaptação e felicidade que se evidenciam nas crianças especiais.

 Dom ainda mais lindão!

12983984_1189027054443068_6046555468106758647_o12983255_1189026994443074_2996015747520162177_o

Algumas indicações

Abaixo uma reportagem sobre um pai que se tornou barbeiro após receber inúmeras recusas dos profissionais ao dizer que o filho tem paralisia cerebral.

Pai se torna cabeleireiro

Um salão de cabeleireiros no Rio de Janeiro que atende crianças normais e especiais. Esse deveria servir de exemplo para os demais estados e DF!

Gat Gat Gatinhas e Gatinhos

E a nobreza de um cabeleireiro que  se adaptou ao cliente autista e o conquistou! Outro exemplo!

Corte cabelo garoto autista

Por hoje é isso! Amanhã volto com um resumo das aventuras desse menino travesso e mais um texto sobre hidrocefalia que estou finalizando.

Ricas bênçãos! Bjus