Papai viajou, bebê operou e mamãe quase pirou

Olá! Sentiram nossa falta? Pois é, tivemos dias complicados por aqui e eu só consegui recuperar as forças agora. Mas está tudo bem com nosso Dom Valente, ele está a todo vapor como sempre!

Como o título revela, tivemos semanas bem difíceis em setembro. Papai viajou e nosso pequeno começou apresentar um quadro semelhante a uma virose. Foram inúmeras idas ao hospital, exames de sangue e urina e picadas para encontrar uma veia boa para colocar o soro… Com o soro ele reagia um pouco, mas chegando em casa o vômito voltava e a sonolência persistia. 

Na terceira ida ao hospital, o médico que o atendeu solicitou a tomografia para descartar ou confirmar qualquer problema com a DVP. Menos de 3 horas depois veio o resultado que não esperávamos: válvula obstruída.

Fomos imediatamente para outro hospital e, diante dos exames, tivemos a confirmação do diagnóstico e da necessidade de nova cirurgia.  Nesse instante meu mundo desabou! Foi algo inesperado, pois estava tudo tão bem… 

Tia Dé, uma amiga para todas as horas. 2016-5-3

Diante da gravidade do caso, nessa mesma noite, Dr. Benício fez uma punção para aliviar um pouco a pressão intracraniana. Deu tão certo que Matheus passou a madrugada em claro, dormiu às 4:20 da manhã e acordou às 5:30 para tomar o banho anti-séptico necessário antes da intervenção. Se eu estava com sono? Nada, eu só parecia uma morta-viva!

Um pouco antes da 6:30 horas fomos para o centro cirúrgico. Me paramentei e corri para ver meu bebê mais um pouquinho. Ajudei na sedação, dei um beijo e abençoei a equipe antes de ser convidada a me retirar da sala… Por estar sozinha, a espera foi muito dolorosa. Cerca de 1 hora e meia depois, Dr. Benício veio dar notícias, estava tudo bem com o Dom Valente e ele já retornaria para a UTI.2016-4-5

A volta da anestesia foi bastante tranquila, dessa vez a oncinha não agitou o setor todo, apenas não deixou a mamãe descansar muito… Acordou, de fato, 4 horas após a cirurgia e permaneceu acordado pelas próximas 23 horas seguidas. A animação era tanta que ele batia “talinha” (variação de bater palmas quando se está com a tala do soro), rolava na cama, ficava de bruços e mamava a cada hora… Eu não preguei os olhos porque precisava cuidar o acesso do soro, não queria vê-lo gritar novamente para encontrar  uma nova opção… Foi um dia-noite-madrugada bastante animado! 

Quando ele, finalmente, capotou, o médico intensivista entrou para fazer as checagens de rotina (pressão, febre e batimentos) e eu o o “expulsei”! Sim, falei que ele acabara de dormir e que não era para mexer…. Ele riu e me mandou aproveitar para dormir também. 

23 horas depois, o sono chegou!

2016-4-5Três dias depois estávamos em casa tentando retomar a rotina, colocar o sono em dia, recuperar as forças, esquecer os dias difíceis… Em duas semanas Matheus estava mais que 100%, já havia retornado às terapias e atividades com a alegria de sempre. O sono demorou para regularizar e tivemos altos papos e passeios (sala, cozinha, quarto)  noturnos.

Alguns dias depois papai chegou e a mamãe hibernou… Mas o cansaço emocional foi bem maior que o físico, esse que me impossibilitou de vir aqui antes para compartilhar com vocês esse momento e tantos outros maravilhosos que vieram depois, e que precisarei atualizá-los. 2016-1-15

Gente linda, está justificado meu sumiço. Dom é mesmo valente, me ensina a cada dia, me dá forças para continuar… Por isso estou de volta. 

Como sempre, gratidão à Deus por nos sustentar em todos os momentos. 

Uma semana abençoada para todos!