O que posso dizer sobre ser uma mãe especial

Poderia escrever apenas sobre a divina arte de ser mãe, pois essa por si só já é grandiosa  e linda. Contudo, há um ano experimento sentimentos diversos e apenas agora me sinto preparada para dividir com vocês um pouco disso tudo, um pouco do que sinto, de como me sinto como mãe especial.

Certa vez, li que o momento da descoberta do problema se assemelha ao luto, visto que houve o planejamento durante os nove meses da gravidez.  Que mamãe não imagina seu filho ouvindo, vendo, falando, andando, brincando e se desenvolvendo como as demais crianças? Porém, inesperadamente, você recebe a fatídica notícia de que seu filho não será essa criança idealizada. Nesse instante é como se a criança imaginada “morresse”. No lugar dessa veio outra, a qual possui um universo particular e que você terá que aceitar e lutar.

Assim como para as mães de primeira viagem, a maternidade para a mãe especial é um caminho repleto de dúvidas e descobertas. No começo, mais dúvidas do que certezas, mais dores do que alegrias, mais lágrimas do que risos…

Não bastasse os exames, diagnósticos, internação e terapias, ainda temos que lidar com a curiosidade alheia (pessoas bondosas e maldosas nos cercam). A maioria delas fica penalizada com a situação e isso é evidente em sua fala e face.

Mas esse sentimento de pena não me surpreendeu, visto que eu mesma cultivei dor e sofrimento ao saber da condição do meu filho. No entanto, o tempo passou e aprendi (ainda estou em processo) a enxergar o outro lado desse lindo presente enviado por Deus. Esse tempo fez brotar os bons sentimentos e hoje consigo entender que a convivência com uma criança especial pode proporcionar experiências únicas e de um amor sem igual.

Não estou dizendo que é fácil, apenas que é possível ser feliz! Sem dúvida a minha vida virou de pernas para o ar. Os planos mudaram, eu mudei, as relações familiares e de amizade também se modificaram, fortaleceram ou findaram!

Aprendi a priorizar algumas situações e atividades. Estou praticando economia de pessoas e de coisas também. Reafirmei a minha fé e vejo os pequenos milagres acontecerem diariamente. Percebi que nada, absolutamente nada, acontece por acaso em nossas vidas. Deus coloca as pessoas certas para caminhar ao nosso lado mesmo quando estamos tão, tão distantes.

O que mais aprendi com isso tudo? Que sou uma mulher resiliente, forte e amorosa! É lógico que eu choro, preciso de colo e aconchego, mas eu não desisto fácil. Todos os dias, do amanhecer ao anoitecer, eu experimento o maior amor do mundo, um amor puro em sua essência.

Hoje a vida tem outro sentido, outro significado. Vejo outras nuances de cores, outros cheiros e sabores… Hoje, muito mais do que antes, consigo valorizar o simples, me encantar com os detalhes, apreciar as delicadezas, valorizar o toque e o abraço e retribuir com gentilezas.

Ser mãe especial é a minha maior lição nessa vida. Sou grata a Deus por cada vitória!  Vibro, agradeço, registro e compartilho os pequenos e grandes avanços do Dom Valente.

Claro, a vida vai ser muito diferente com uma criança especial, mas é possível torná-la agradável e leve se você estiver disposta a viver intensamente essa experiência. Será maravilhosa se você lutar para quebrar as barreiras, se quiser aprender a ser!

Enfim, ser uma mãe especial nos permite olhar a vida diferente, nos torna mais humanos, mais gente.

MAE ESPECIAL 2
Imagem de arquivo pessoal. Reprodução não autorizada.

 

Comentários

  1. Parabéns, amiga, pelo site! Com certeza o site será uma maravilhosa contribuição às mães especiais e também aos educadores.