Hora da história, Baby!

Hoje, o foco da escrita será a contação de histórias no ambiente familiar, no aconchego do lar. Será que as famílias estão desfrutando desse momento de interação e afeto junto às crianças?

É indiscutível a importância de cercar os bebês e as crianças de afeto e amor. Logo, as histórias permitem suprir parte dessa atribuição, pois as palavras e os gestos expressam sentimentos. Além disso, as crianças consideram o momento da história como algo mágico, aconchegante, carinhoso, curioso, divertido…

Segundo diversos estudos, a contação de histórias deve iniciar ainda durante a gestação, pois ainda no útero  materno o bebê sente e reage as vibrações da voz da mãe.  Após o nascimento é importante dar continuidade à atividade, pois mesmo que não haja a compreensão do significado das palavras, os estímulos estão acontecendo e servirão de base para um futuro saudável.

Assim, nunca é cedo demais para apresentá-las  ao mundo das narrativas, visto que essa atividade auxilia no desenvolvimento da imaginação infantil, comunicação, construção de vocabulário, percepção e organização das emoções. Ademais, quando os pais leem, o bebê percebe as emoções e os sons expressivos e isso ajuda o desenvolvimento emocional. No entanto, talvez a razão mais importante da leitura para o bebê e a criança pequena seja mesmo a conexão emocional, o colo, o aconchego, a suavidade da voz, o cheiro, o toque, o carinho. A transformação desse momento em memória afetiva!

Contar histórias para bebês e crianças pequenas requer alguns cuidados:

 ★ Manter um tom de voz suave
 Não fazer movimentos bruscos com o corpo
 Utilizar canções suaves, como os acalantos e de ninar
 Evitar narrativas longas
 Associar a contação com a hora do sono ou do banho
 Opte por obras com figuras grandes e coloridas, as quais estimulam a percepção visual
 Toque a criança com carinho e cuidado.

Algumas Dicas…

Organizar uma rotina

É importante ter um horário certo para essa atividade e isso será uma decisão de cada família. O momento da criança deve ser respeitado também, ou seja, não adianta tentar colocá-la sentada para ouvir uma narrativa quando ela quer brincar e movimentar. Insistir poderá gerar frustração. Talvez os melhores momentos sejam antes de dormir ou durante o banho, pois são momentos calmantes.

Escolha histórias curtas 

Para os bebês a história pode ter 2 ou 3 frases. Esse quantitativo é graduado de acordo com o crescimento  e o interesse da criança.  As ilustrações devem ser coloridas e chamativas. Já as crianças pequenas adoram os livros com pop ups (aqueles em que a ilustração “salta” do livro quando se viram as páginas), livros à prova d’água para a hora do banho, livros de pano e livros de páginas duras e resistentes também são muito indicados, pois permitem sensações distintas.

29412262 9788538042952g1 bb_prazer imagem.aspx instru-ggg

Mergulhe  e aproveite

Guarde a timidez no armário e mergulhe na narrativa! Os pequenos se encantam com entonações e dramatizações, então, aproveite o momento da história para dar vida ao artista-arteiro que há em você!   Para os bebês abuse da entonação e seja muito suave para não assustar. Já para as crianças maiores, abuse da entonação, faça caras e bocas, use gestos, cante e encante! Insira fantoches, deboches e objeto sonoros nessa aventura!

de-540x332 tudo-sobre-fantoches-fofos

Contar e recontar

Sim, você terá que repetir incontáveis vezes a mesma história! Para os bebês essa repetição serve para dar segurança e permitir associações e ela se estende ao longo da primeira infância, pois é uma característica da criança.

Esse não pode faltar!Adivinha_Quanto_Eu_Te_Amo

Preste atenção aos interesses da criança

Quando eles são bebês as histórias são escolhidas pelos pais, mas depois de um tempinho as crianças demonstram as preferências, as quais devem ser respeitadas pelos pais também para a escolha dos livros.

Frequente espaços letrados

Aproveite os espaços das livrarias e bibliotecas para incentivar o hábito da audição e da leitura de histórias. Sem dúvida serão aventuras inesquecíveis!

Algumas sugestões de leituras!

(Informações retiras do site Bolsa Mulher)

De 0 a 3 anos 

Nessa faixa etária é interessante incluir  livros de papelão, plástico ou pano, que sejam ricos em gravuras para que as crianças possam explorar o produto pelo tato.

Crédito: Divulgação

De 3 a 6 anos

A dica para essa idade são livros com imagens e enredos curtos, que devem conter humor e mistério. A repetição de elementos no livro é indicada nessa faixa etária para a manutenção da atenção e para que a criança estabeleça uma conexão entre o mundo real e o mundo da palavra.

Crédito: Divulgação

Conte histórias, crie vínculos, espalhe amor!